Ver Lições

Página 3: Você se controla bem?

/pt/controle-financeiro-familiar-e-pessoal/sua-relacao-com-o-dinheiro-e-boa/content/

Você se controla bem?

Uma primeira coisa que se deve pensar quando estamos tentando melhorar nossa relação com o dinheiro é sobre o tipo de pessoa que somos. Veja em que grupo de pessoas você se encaixa:

Gastador: Esse costuma gastar o que tem e o que não tem, fica sempre com dívida, é um comprador compulsivo, costuma comprar por impulso e se sente feliz quando compra. Estar no cheque especial e pagar muitos juros no cartão de crédito não é uma novidade para ele. Seu nome está ou já esteve nos serviços de proteção ao crédito diversas vezes.

Despreocupado:
Diferentemente do primeiro caso, esta pessoa costuma ser um pouco mais cautelosa, mas isso não significa que não compre, mas que compra na medida. De toda forma, ela não costuma se preocupar muito com o amanhã, e por isso não guarda nada e assim como o gastador, de vez em quando estoura o cheque espacial e paga juros por atraso no cartão de crédito.

Comprometido: Este é aquele que conta, que planeja, que não gasta por impulso, que costuma pagar suas contas em dia para não pagar juros. Também costuma deixar uma reserva para o futuro e é bem provável que dificilmente tenha seu nome protestado. 

Para que este curso tenha um efeito positivo na sua vida, é necessário ser bastante verdadeiro consigo mesmo ao responder a seguinte pergunta: Eu tenho um bom controle do meu dinheiro?

A resposta correta para esta pergunta lhe fará saber se você está indo bem ou se precisa melhorar em algum aspecto. Já ouvi casos graves de pessoas que não conseguem se controlar bem, isso porque são movidas pelos seus impulsos. Na minha opinião existem alguns comportamentos que indicam que uma pessoa não tem uma relação boa com o dinheiro. Veja:

  • Gasta mais do que ganha.
  • Não faz planejamento/orçamentos. 
  • Compra por impulso.
  • Usa constantemente o cheque especial e saca dinheiro do cartão de crédito.
  • Quando está gastando não pensa no amanhã e sim só no momento.
  • Gosta de acumular coisas desnecessárias.
  • É viciada em comprar.
  •  e outras

Mencionamos apenas alguns comportamentos entre os vários que podem indicar que alguém não está no caminho certo com o dinheiro.
Acredito que como todas as coisas da nossa vida, ter uma relação boa e controlada com ele é de fundamental importância para se sentir bem.

A chave para isso é o que chamamos de controle e, para que ele ocorra de forma efetiva se faz necessário criar orçamentos (Na próxima lição lhe mostramos detalhadamente como fazer orçamentos), fazer planejamentos, ou seja, controlar tudo.

Depois de pensar e pesquisar um pouco, cheguei a conclusão que é muito importante dividir o dinheiro que recebemos em algumas partes. Não importa de verdade sua origem, pode ser, por exemplo, um salário, uma aposentadoria, etc. Mas desse total uma boa alternativa é dividi-lo da seguinte forma:

Sugestão para dividir o salário em um mês.

É claro que cada um tem uma realidade diferente e essa divisão nem sempre atenderá a todos, mas ideia é válida, você mesmo pode montar seu gráfico identificando que porcentagem do seu dinheiro vai para cada coisa.

/pt/controle-financeiro-familiar-e-pessoal/a-necessidade-de-um-orcamento/content/